O quê são frequências de cura e moduladores vibracionais? Como funcionam?

Frequência é a medida de vibração e oscilação de ondas de energia. A matéria  é formada por partículas em movimento que, vibrando em frequências determinadas, agrupam-se compondo os átomos. A oscilação dessas frequências é medida em hertz (Hz).

Aos 26 anos, o cientista Heinrich Hertz provou  a existência de radiação eletromagnética, como se propagava e como controlar sua frequência. Ele também estudou outras propriedades do eletromagnetismo, como velocidade, polarização, refração e reflexão.

Assim, cada célula de um tecido ou sistema orgânico específico, vibra em uma  frequência específica, que sustenta sua funcionalidade. Cada órgão, tecido e sistema do nosso corpo funciona em uma frequência específica ideal.

Ao entrar em desequilíbrio frequencial, a célula perde sua capacidade de sustentar a funcionalidade do órgão, tecido ou sistema do qual faz parte.

Somos uma orquestra sinfônica de energia vibracional, portanto.

Quando ingerimos medicamentos alopáticos, seus ativos químicos agem no campo biológico produzindo combinações e reações na química do organismo para a supressão dos sintomas das doenças. Essas reações químicas, porém, geram alterações na frequência em nível cellular, promovendo os conhecidos “efeitos colaterais.”

As frequências de cura acessam nossos sistemas orgânicos através da conexão e interação com o campo eletromagnético que é o nosso grande “captador”, reconectando as células às informações vibracionais originais contidas na memória celular e no DNA. Reconectada à essa informação original, a célula retorna à vibração em sua frequência funcional ideal.

Da mesma forma, os indutores e moduladores frequenciais florais, administrados em gotas sublinguais (absorção mais rápida e eficaz que a oral) ou uso tópico, estimulam e restauram a vibração funcional ideal das células de cada tecido, órgão ou sistema a partir de princípios ativos florais e fitoterápicos que, combinados, atuam por “equivalência frequencial”, sem interferer na frequência de outros sistemas, não produzindo, portanto, efeitos colaterais. É assim que as frequências, quando moduladas funcionam.

Imagine um rádio: quando você sintoniza determinada emissora de radio FM, capta o sinal daquela emissora. Aquela frequência modulada (FM), tem melhor qualidade e não interfere na frequência de sinal das outras estações de radio. Diferentemente das emissoras de Amplitude Modulada (AM), a Frequência Modulada (FM) está menos sujeita a interferências no sinal. É mais estável, como mostra a ilustração:

 

              

 

 

O DNA é um emissor que ativa o campo biológico através de micro-pulsos magnéticos.

 

O DNA possui duas características estruturais de antenas fractais: condução elétrica e auto simetria. A condução elétrica permite a circulação de partículas eletricamente carregadas dentro do corpo, cujo fluxo produz a nossa força vital.

 

A maioria das moléculas do corpo são dipolos elétricos (cargas elétricas iguais mas com polaridades opostas). Esses dipolos elétricos funcionam como transformadores de energia capazes de transformar as ondas acústicas em ondas elétricas e as ondas elétricas em ondas acústicas.

Um número de proteínas da membrana, bem como o DNA consistem de bobinas helicoidais (formato de mola), permitindo que funcionem eletricamente como bobinas indutoras (armazena, filtra, transforma e evita oscilações de energia). Os tecidos biológicos também podem possuir propriedades condutoras.

 

A doença crônica ocorre quando a frequência está alterada, oscilando de forma inadequada. As células, então, não tem energia suficiente para funcionar corretamente e a quantidade de oxigênio nas células cai, ocorrendo uma mudança de metabolismo (diminuição do oxigênio disponível).

As células interagem entre si através de ressonância.

 

O físico Herbert Fröhlich (1905-1991) estabeleceu que a oscilação fundamental das membranas celulares ocorre em frequências da ordem dos 100 GHz e os sistemas biológicos possuem a capacidade de criar e utilizar oscilações coerentes e responder a oscilações externas.

Como as membranas celulares são compostas de materiais dielétricos uma célula irá comportar-se como um ressonador e vai produzir um campo eletromagnético em torno de si, interagindo com sistemas semelhantes. (tanto para cura como contaminação, intoxicação ou degeneração).

As aplicações de frequências por condutores, geradores , indutores e moduladores podem melhorar ou interferir com a ressonância e o metabolismo celular.

 

Quando não funciona?

Como disse anteriormente, nosso organismo é uma grande orquestra sinfônica de vibrações e frequências.  Neste cenário, nosso cérebro é o grande maestro que conduz o ritmo, o tempo e a intensidade de todos os eventos. Assim, podemos fornecer estímulos e nos expormos à todo o tipo de processo terapêutico e tratamento, porém sua eficácia está vinculada  à capacidade do corpo psíquico em adequar-se e ascender à uma frequência saudável.

Em síntese,  só haverá cura se harmonizarmos os campos biológico e psíquico, libertando-nos da paralisia espiritual e mental, das crenças e perturbações transgeracionais  e ambientais tóxicas.

Nenhum tratamento ou terapia gera ou mantém resultados benéficos e significativos quando o organismo é mantido sob a égide dos vícios psicológicos, do assédio intra e interconsciencial, do aprisionamento do ego, ou, e principalmente, diante da ausência de vontade.

* Artigo protegido por direitos autorais. 

 

 

Contato

Jo Cestari
Espaço Fracta Desenvolvimento Humano, em Fortaleza/CE

Rua Silva Paulet 1163 - Aldeota CEP 60120- 121

Fone: (85) 98539.1969

© 2015 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátis

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!